A “Kruzada”

Aee!!! De volta à civilização!!! Uma semana e meia isolado tecnologicamente, mas estou de volta. Essa viagem foi boa, é sempre bom respirar novos ares, arejar as ideias, conseguir uma injeção de ânimo e rever os amigos. Nesse tempo também me recordei de acontecimentos que irei postar num futuro próximo. O de hoje vai dar continuidade no assunto iniciado no meu último post, a vergonha estratosférica que amigos podem proporcionar.

Tudo se iniciou no começo do ano passado, um amigo disse que tinha encontrado a garota perfeita para mim em uma festa, praticamente uma versão feminina minha. Ela não perdia uma oportunidade de fazer uma piada ou zoar alguém, gostava do mesmo estilo musical que eu, dos mesmos programas, jogos e acessava os mesmos blogs, mas mesmo assim era bonita. Logicamente fiquei interessado, mesmo com ele falando que queria nos colocar juntos só pra saber se o resultado seria casamento (¬¬) ou o início de uma batalha de tiradas que só teria fim com a destruição total de um de nós.

Quase dois meses se passaram de tentativas de encontrá-la em festas, nenhuma com resultado, sempre um de nós não podia ir e nem nos corredores da faculdade nos encontrávamos, mas meu amigo nunca desistia, ele queria ter a chance de ver minha destruição, tenho certeza disso. Imagine o que não faço com meus amigos… Não é só o Pride que sofre, ele só é o que sofre mais.

Um dia estava eu tranquilo indo para mais uma aula somente com a minha caneta para assinar a chamada quando meu amigo me chama para ir a uma festa, perguntei se a garota iria, ele disse que achava que não, pois era véspera de feriado e ela deveria voltar para sua cidade. Topei mesmo assim, curto ir em festas nem que seja só para rir dos bêbados, porém para não ficar sobrando, sempre vou com um amigo que também não ficaria com ninguém e tive a ideia de chamar o Envy, algo que mudaria completamente o rumo da noite.

Envy nos deu carona até a festa e meu amigo contava até para ele sobre a garota, tenho certeza que até Envy ficou entusiasmado, mas também creio que foi pela possibilidade de destruição…

Após algum tempo na festa, quando ela já tava cheia, meu amigo vai ao bar e se dirige todo sorridente para o Envy e para mim:

– ELA TÁ AQUI CARA!!!

– Cadê ela??? – perguntei. Estavamos animados, mas por pouco tempo…

Ele olhou por cima da multidão, me olhou bem sem-graça e disse:

– Alí com aquele cara…

Se você é daquelas pessoas que sempre diz “Poderia ser pior…”, pode ficar tranquilo pois era pior. Eu conhecia o cara. Ele não era um amigo, nem mesmo um colega, eu simplesmente conhecia o cara, ele tinha estudado no mesmo colégio que eu e conversamos algumas vezes sobre MMORPGs e por ele ser amigo dos meus amigos, já tinha saído com ele algumas vezes. Se você ainda pensar “Ah Felipe… Mesmo assim poderia ser pior…” eu digo, ERA PIOR! Ele era amigo do Envy. Se você achar que AINDA ASSIM poderia ser pior, obviamente você não conhece o Envy, portanto me faça um favor, termine de ler esse texto antes de ter uma opinião.

Para melhorar tudo depois dessa decepção, a festa tava uma merda, o som tava ruim e enquanto meu amigo ia dançar com todas que ele encontrava, eu e o Envy passávamos o tempo sentados em uma mureta de frente para um buraco assistindo as pessoas levemente “lubrificadas” tropeçarem e caírem, mas tava tudo tão ruim que cansamos e fomos procurar outra coisa para nos divertir e decidimos abordar garotas com cantadas toscas só para passar o tempo.

– Você gosta de brigadeiro? -perguntei

– Por que? – disse a garota que obviamente estava cansada de caras escrotos naquela noite.

– É uma pergunta simples com uma resposta simples, sim ou não. Você gosta de brigadeiro? – repeti.

– Tá, eu gosto, por que?

– E de beijinho? – eu disse jogando um olhar 42 e meio seguido de uma piscadela marota que me dá vontade de vomitar só de imaginar.

– Olha, não chega com cantada não que isso é horrível!!!

Nesse momento Envy aparece no meio de nós ao melhor estilo Mestre dos Magos e diz:

– Muito bem, estamos fazendo um estudo sobre cantadas e você foi uma das escolhidas, sendo assim, de zero a cinco, que nota você dá para essa cantada?

– Err… Um, só porque ela é engraçadinha… – a garota visualmente não entendia PORRA NENHUMA do que estava acontecendo.

– Mas numa escala de humor, que nota ela recebe? – perguntei.

– Continua sendo um, porque ela é muito ruim.

Depois de alguns momentos conversando com a garota saímos e a festa só piorava, foi quando decidimos ir para o Subway comer algo, mas a mente inescrupulosa de Envy tinha mais uma carta a ser jogada, assim ele convida seu amigo e a garota para se juntarem a nós.

No local encontro mais alguns conhecidos meus, que também conheciam a garota e todos nos sentamos em uma enorme e feliz mesa para conversarmos. Como previa algo da mente macabra de Envy, me sentei na outra ponta, mais próximo dos conhecidos que dos amigos, após algum tempo percebo que o plano de Envy iria começar, assim começo um assunto com o povo da minha ponta da mesa enquanto ele diz:

– Ah… O Felipe tá estranho hoje… Ele ia encontrar com uma garota que um amigo seu comentava, mas ela tinha namorado…

Olho disfarçadamente para onde se encontram meu amigos, percebo que Envy olha para mim com um sorriso tinhoso em sua face, enquanto meu amigo come seu lanche calma e tranquilamente, como se nada estivesse acontecendo e a garota juntamente com seu namorado olham para mim com olhares cheios de pena. Nunca imaginei que Envy pudesse fazer algo desse nível e após esse dia eu nunca mais duvidei de sua capacidade. A minha sorte é que eles não sacaram e cada um seguiu pro seu rumo depois… Porém Envy ficou me aterrorizando com esa história por meses e sempre que tinha uma chance, saíamos com o cara para mais terrorismo.

Com esse texto dá para se ter noção de duas coisas, a primeira é que tudo SEMPRE pode piorar, a segunda é que amigos tem que te levar para jantar um dia e te pagar um vinho, pois às vezes eles só querem te fuder.

Depois de mais um texto gigante em plena Copa do Mundo, me despeço.

Até a próxima. Tô com preguiça até de colocar as mensagens subliminares… VÔTE!!!

Anúncios

Sobre Felipe Washington

Gott weiss Ich will kein Engel sein.
Esse post foi publicado em Contos. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A “Kruzada”

  1. Envy disse:

    auhasuhasuhasuhaushasuhsusahasuhsa Top….
    Esse episódio foi épico. Vc imagina a minha surpresa qnd soube quem era a tal garota…. uhashusahuauas me segurei, mas não teve como não ser eu. (6)
    ^^ “kruzada” muito bom…

  2. Victor Martins disse:

    Bom… fikei sabendo dessa historia pessoalmente… e dpois leio ela aki no blog… ri d mais,.. aiuahuiahuia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s