Férias: Baile

E aê galerinha do mal, já aguentaram até aqui, bora terminar a história começada num truco valendo o toba nesse e nesse post?

Bom, continuando a história…

Na sexta-feira logo cedo comecei minha viagem de volta a Goiânia para fazer a prova do MBA, meu prazo era curto, precisava chegar lá, estudar, me preparar psicologicamente para fazer um tipo de prova que não fazia a muito tempo e, obviamente, ir fazer a prova. Como todos devem saber, me formei em engenharia no começo do ano e já tinha algum tempo que não fazia provas, provas nas quais devo discorrer sobre um assunto para provar meu ponto de vista então nem se fala, mas logo que cheguei sabia que não ia ser tão simples assim estudar umas 50 páginas de uma apostila em uma tarde. Somente para melhorar ainda mais a minha situação meus pais não deram a devida atenção às minhas ligações e acharam que viajariam naquela tarde para Barra do Garças, eles chegaram e aí que não estudei mesmo. Sem contar que fiquei tentando aprender a dar nó em gravata, algo que não deu muito resultado.

Após tomar um café expresso duplo no RPG Café que frequento, cheguei para a prova esperando umas cinco questões valendo dois pontos cada, o professor não pode apelar já que o módulo só possui uma prova e devemos alcançar a média sete. Encontrei duas questões valendo cinco pontos cada. Uma das questões era sobre a elaboração de um roteiro de uma apresentação sobre os males de uma má comunicação. Eu nunca tinha elaborado um roteiro de uma apresentação dessa maneira, mas fui na fé e acabando de olhar a minha nota aqui, vejo que fiz certo.

Adivinhem quem teve que acordar no outro dia 4hs da manhã para viajar de volta para Barra do Garças? Depois de mais 400 km eu estava de volta a minha cidade natal e ainda tentava encontrar alguém que me ensinasse a dar um nó decente naquela gravata, nem meu pai, nem meus tios, nem minhas tias, ninguém conseguiu me ajudar e os vídeos no youtube não adiantavam muito, decidi que tentaria na hora mesmo e que fosse o que Deus quisesse.

Após me arrumar, fiquei mais de 15 minutos tentando arrumar a gravata, mas não obtive sucesso, teria que ir para o baile com o que tivesse e esperar uma alma abençoada para me ajudar. Cheguei lá e todos falavam do nó porco que eu ostentava em meu pescoço, finalmente chegou um cara que eu sabia que conhecia a arte secreta e me ajudou.

O povo foi chegando e começaram as coisas que eu achei que não teria de vivenciar novamente, os amigos dos meus pais que me conheceram quando era criança. Todos já passaram por isso, chega um amigo dos seus pais e eles vão te apresentar, e você fica lá ouvindo sempre as mesmas coisas sobre como você era pequeno e agora não é mais. Todo mundo muda depois de 15 anos, eu sei que mudei, sei que cresci, sei que era pequeno e que um dia minha mãe esteve grávida de mim, não precisa gastar sua saliva. Isso chegou num ponto tal que não conseguia ir ao banheiro sossegado, no percurso de ida eu tinha que parar e ser apresentado para umas quatro pessoas e na volta a situação se repetia.

Enfim somos chamados para nos prepararmos para a valsa e lá o povo tava meio tenso, creio que pelas inúmeras provas da faculdade me acostumei com pressão e dificilmente fico tenso com essas coisas que dependem só de mim. Minha parceira estava nervosa por ter um tapete no meio do salão e a gente não ter treinado com o aquilo, ela estava com medo de tropeçar e cair, disse que se isso acontecesse a gente jogava o vídeo no YouTube e iríamos fazer mais sucesso na festa que a própria debutante (É, não sou bom pra animar as pessoas, também já percebi isso.), mas que era pra ela ficar tranquila que nada iria acontecer e que no fim ela perceberia que foi besteira ficar se torturando por pouca coisa (Isso vindo do cara que dois dias antes tava quase tendo um treco por causa de um exame de sangue.). Pouco antes me avisam que eu teria que abotoar o terno, até então achava que iria fazer tudo com ele aberto, um detalhe sobre esse terno é que comprei ele quando morava sozinho e engordei 10 kg depois disso, logo ele ficou justo quando fechado, mas nada excessivo.

Olha a gente aí!!!

A dança começou e foi tudo tranquilo, até que chegou o passo final. Esse passo consistia em girar a garota, puxá-la de volta, agarrá-la, deitá-la e após levantar tudo estaria acabado. Simples. Mas nada tinha dado errado até então, onde já se viu não acontecer nada errado, né? Pois no simples passo que finalizava tudo, algo deu errado. E foi comigo. Como o terno estava justo, a manga da camisa ficou muito para fora do paletó e na hora de puxar a minha parceira o botão da manga prendeu de alguma maneira sobrenatural no cabelo dela, rendendo um susto e creio que um grito também, mas eu estava em um estado em que só pensava uma coisa (F*DEU!) e tentava entender a situação ao mesmo tempo que buscava não deixar minha parceira cair, pois aí sim tudo estaria perdido. Até hoje eu ainda busco entender como fui capaz de prender o botão da manga da camisa no cabelo dela, sendo que minha mão não deveria nem passar perto de sua cabeça. Ao levantá-la eu consegui rapidamente, mas não creio que discretamente, tirar o botão dos seus cabelos e passamos o restante da cerimônia rindo do acontecido, mais por vergonha do acontecimento que pelo fato ser realmente engraçado, mas tudo bem.

Após todo esse vexame e a sessão de fotos, me reuní com mais alguns companheiros de valsa e chegou o cara mais louco que já vi na vida, acho que ele já estava com as engrenagens bem “lubrificadas” e começou a falar do sobrinho dele que, ao invés de manter suas mãos na cintura da parceira dele estava com elas mais perto da “peteca” da garota. Esse cara também começou a falar algumas frases que irei compartilhar com vocês (18+):

“Perdi minha virgindade numa festa, tinham uns 20 caras e uma mulher, uma hora meu amigo bateu nas minhas costas e disse: ‘Vai lá que é sua vez.'”

“Um dia meu sobrinho chegou pra mim e disse: ‘Tio, aquela menina é boa pra namorar, né?’. Respondi: ‘Que namorar rapaz!!! Come ela, dá um tapa na cara dela, vai embora e nem liga no outro dia.’. Ele devia ter uns 7 anos…”

“Esse DJ aí é meu amigão!!! Eu que mostrei a primeira revista pornô pra ele.”

Ele chega em um cara no meio da festa e solta: “EI!!! Toma cuidado aí, esse cara aqui tá querendo comer sua filha, hein!!! Fica de olho…” E isso apontando pro jogador de “peteca”.

Tiveram outras, mas infelizmente não lembro de todas. Por fim o DJ tomou conta e a festa rolou.

Acho que esse foi o maior post que relatou as minhas férias, e também foi o post final. Creio que aproveitarei a onda de inspiração em que estou para publicar mais alguns contos, mas evitarei publicá-los diariamente e procurarei deixar um espaço de alguns dias entre eles. Agendamento de posts é bom por isso, esse está escrito a uma semana. HAHAHAHA!!! =P

Obrigado por terem lido.

Até a próxima. WHO’S GONNA DRIVE YOU HOOOOME, TONIGHT!?!?

Anúncios

Sobre Felipe Washington

Gott weiss Ich will kein Engel sein.
Esse post foi publicado em Viagens. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s