Como deixar uma ida ao cinema mais divertida – Parte 2

É!!! A continuação nem demorou!!! Não tinha nem como demorar, foram tantas presepadas no cinema que eu tinha que fazer mais esse post contando as coisas do balacobaco que já aconteceram comigo e quando se junta uma galera desocupada para ir a uma sessão vazia e uma sessão com poltronas marcadas ruins só pode acontecer uma diversão não esperada.

Era começo de 2006, tínhamos acabado de voltar da única greve que sofremos em todo o período da faculdade, o cinema novo do shopping próximo à universidade tinha acabado de ser inaugurado e “Se Eu Fosse Você” ainda estava em cartaz. É sempre bom promover o cinema nacional e dois amigos juntamente comigo resolvemos ir assistí-lo, assim fomos para o cinema Ivan, Flávio e eu. No caminho ainda encontramos um amigo do Flávio, Lúcio, que acabou se juntando a nós.

Chegamos na sessão e como ela estava vazia decidimos pelo óbvio, sentar nas poltronas da última fileira, mas logo percebemos que os braços da poltrona levantavam e tivemos a brilhante ideia de assistir o filme deitados! Ora, por que não? As paradas levantavam e tava vazio mesmo, assim deitamos todos, ocupando toda o fundo da sala.

Um pouco antes do filme começar duas garotas começam a subir as escadas, provavelmente viram poucas pessoas no fundo e acharam que haviam várias vagas, mas ao chegarem perceberam que estávamos deitados e não teriam como se sentar, mas Ivan não deixaria duas donzelas sem lugar e imediatamente começou a bater em sua perna mostrando sua cara de tarado demonstrando que se estivessem dispostas a aguentar toda a sua “moleza”, poderiam se sentar alí. Claro que elas procuraram outro lugar, se sentando na fileira à frente da nossa, mas justamente na frente do Ivan, que continuou as cantando até que elas sentaram em outras poltronas.

O filme foi passando e o Lúcio não resistiu ao ar condicionado junto com o conforto das poltronas e acabou caindo em sono profundo, inclusive roncando, passado pouco tempo vem a lanterninha (nem sei se é esse o nome mais, mas digamos que seja, pois pra mim não faz a menor diferença). Todos estávamos deitados, mas ela foi somente no Lúcio, o acordou e disse que alí não era lugar pra se colocar os pés e que ele devia retirá-los de cima das poltronas. Sim, o cara teve o sono perturbado somente para ser proibido de fazer uma coisa que todo mundo continuou fazendo, pois ele teve que ficar sentado pelo resto do filme enquanto nós três continuamos deitados numa boa.

Pra esse texto não ficar muito curto eu vou contar mais uma, se não quiser ler lembre-se que não fui eu quem abriu essa página no seu navegador.

Em maio desse ano que já está se acabando eu, juntamente com mais um amigo, o Thomaz, fomos assistir o remake do filme “A Hora do Pesadelo” e a poltrona dele era muito ruim, nem me lembro exatamente a razão, mas era ruim, assim ele se sentou na do lado dela, mas o cinema do shopping Flamboyant em Goiânia possui cadeiras marcadas e logo chegou a gordinha dona da cadeira, o que nos forçou a ir para a fila da frente, o cinema estava vazio, então não teríamos problemas, mas a gordinha bloqueava a nossa passagem e decidimos passar por cima das poltronas mesmo.

Thomaz foi com todo o cuidado do mundo, abaixou o assento, pisou nele e se sentou calmamente. Já eu fui com a sutileza de um elefante cor-de-rosa entrando numa loja de porcelana em pleno horário de pico. Olhei aquelas poltronas e decidi que ia pular aquela merda mesmo, o problema é que tinha um casal sentado imediatamente à frente da poltrona que eu almejava e num momento de tensão logo no começo do filme eu pulo e acerto meu pé na poltrona da mulher, fazendo ela e toda a fileira pular, no mínimo, meio metro de altura, o que rendeu comentários como “Que cara sem-noção, faz isso logo num filme de terror!!” e fez o filme perder a graça para mim, pois não conseguia parar de rir.

Bônus: Amigos também se fodem, mas nem sempre juntos. Um dia Pride, Envy e eu fomos ao cinema e compramos três milkshakes, Envy acabou com o dele e Pride e eu fomos entrar com os nossos. Eu entrei tranquilamente, escolhi um lugar e nada dos outros dois chegarem, após aproximadamente cinco minutos eles chegam e contam que o Pride foi barrado por estar com o milkshake, ouvi isso enquanto acabava com o meu e ria sem parar.

Tinha também o barraco em “Fúria dos Titãs”, que acabou sendo a melhor parte do filme, mas vou deixar essa história na gaveta.

Até a próxima. Mais uma vez sem mensagens subliminares. Tô cansado e numa viagem.

Anúncios

Sobre Felipe Washington

Gott weiss Ich will kein Engel sein.
Esse post foi publicado em Contos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s